<$BlogMetaData$>

terça-feira, janeiro 31, 2006

19. DESCRIÇÃO

Fonte: Descrição


No canto daquele quarto
Vi um menino escondido
Isolado no seu mundo pequeno
No seu grande mundo de fantasia
Onde sem ir a lado nenhum
Ia à mais alta montanha e ao mais profundo vale
E que durante as suas viagens
Recolhia recordações
Recordações estas, as guarda
Não só na sua memória
Mas também no seu coração...

Escrito por Francisco Manso entre 1997-2002
(Uma fiel descrição de Pedro Nobre)



Sugestões de visita:
-
Cantinho do Poeta
- Cultura y Libertad
- Na Escuridão da Noite

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 18:04   22 REFLEXUS

domingo, janeiro 29, 2006

18. OURO BRANCO

Fonte: Univesidade de Évora

Por estranho que pareça normalmente a tendência é questionar-mos e se fossemos até à neve? Hoje, Domingo dia 29 de Janeiro de 2006, a neve veio até nós...

A noite estava fria, os vidros dos carros já com camadas de gelo tudo estava a proporcionar para acontecer algo pouco normal... de manhã acordo e ouço a chuva a cair e de repente deu-se um "milagre" começou a nevar em pleno Alentejo, mais precisamente na cidade de Évora.

Os meus olhos ficaram cintilantes lembrando as minhas origens, pois eu nasci numa cidade onde o frio é tradição e quando nevava, nevava...

Fonte: Sé de Évora

Olhei para o exterior da janela do meu quarto e flocos singelos de neve, vindos dos céus davam o efeito de pureza em toda a rua, os carros cobertos, as pessoas com rostos de felicidade... máquinas fotográficas, câmaras de filmar, telemóveis, todos queriam guardar este momento para sempre, é um fenómeno raro por estas bandas e certamente tão cedo não iremos ter nada igual.

Vi o “meu” Templo Romano, na televisão, nem parecia o mesmo monumento, ainda pensei que de uma outra capital do norte da Europa se tratasse...

Fonte: Templo Romano

Este sim, foi um Domingo diferente, choveu ouro branco do céu, fazendo lembrar novamente o Natal... a paz e o amor que sempre abunda nesta quadra natalícia.

Escrito a 29 de Janeiro de 2006, 19:00

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 18:39   19 REFLEXUS

sábado, janeiro 28, 2006

17. SUGESTÃO DE FIM-DE-SEMANA

Fonte: Castelo Sesimbra


Caros Amigos e Leitores,

Para este fim-de-semana venho sugerir um dos castelos mais bonitos do país, o Castelo e sua vila piscatória de Sesimbra.
"Sesimbra é uma vila portuguesa pertencente ao Distrito de Setúbal, região de Lisboa e subregião da Península de Setúbal, com cerca de 5 800 habitantes.

É sede de um município com 194,98 km² de área e 37 567 habitantes (2001), subdividido em 3 freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Almada e do Seixal, a nordeste pelo Barreiro, a leste por Setúbal e a sul e a oeste tem litoral no oceano Atlântico.
As freguesias de Sesimbra são as seguintes:

Património

História do Castelo de Sesimbra


Povoação tradicionalmente dedicada à pesca, à época da Reconquista cristã da península Ibérica, foi tomada aos mouros em 1165 por D. Afonso Henriques (1112-85) que lhe procedeu reparos nas defesas.


O rei D. Sancho I (1185-1211) havia conquistado o Castelo de Silves desde 1189, mas a resposta islâmica, implacável, resultou não só na perda de Silves como de grande parte do Alentejo até à margem esquerda do rio Tejo. Os habitantes de Sesimbra, alertados pela queda de Alcácer do Sal e debilitados pela peste que então alastrava no reino, abandonaram a povoação, que desse modo foi ocupada e arrasada pelas forças de Almançor, em 1191. D. Sancho I acabaria por se reapossar desta povoação com o auxílio de cruzados francos e, em 1200, ordenou a reconstrução do seu castelo.

Em 1236, Sesimbra foi entregue por D. Sancho II (1223-48) aos cavaleiros da Ordem de Santiago, que sob o comando do seu Grão-Mestre, D. Paio Peres Correia, muito auxiliaram este monarca na reconquista das terras algarvias.

À época da Restauração da independência, o castelo medieval sofreu obras de adaptação da sua estrutura às novas técnicas de fortificação impostas pela evolução dos meios de artilharia, ao mesmo tempo em que se fez erguer, junto à praia, o Forte de Santiago de Sesimbra.


Características


A fortificação de Sesimbra apresenta planta irregular alongada, no sentido nordeste-sudoeste. No extremo norte está o castelo medieval, de planta poligonal, dominado por duas torres, uma delas a de Menagem. No extremo oposto ergue-se uma torre de vigia, rectangular. Na muralha encostam os quatro baluartes seiscentistas (dois a norte e dois a sul) e abrem-se duas portas: a Porta do Sol, a nordeste e a Porta da Azóia, a noroeste. No terrapleno subsistem a Igreja de Santa Maria e os restos da Casa da Câmara."

Fonte: Wikipedia - Sesimbra e Wikipedia - Castelo de Sesimbra

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 00:00   7 REFLEXUS

quarta-feira, janeiro 25, 2006

16. COLINAS e VALES

Fonte: Corpos

Observando o manto verde
Percorro o caminho
Avisto umas grandes colinas
Desejo sentir para me dar prazer
Ao alto avisto uma vasta floresta
Quando de repente escorrego pelo vale abaixo
Ainda me tento agarrar
Mas não consigo
Escorrego e tropeço num pequeno buraco
E caio de cabeça perante a floresta
Quando dou por mim estou perdido
E depois de muito andar
Para trás e para a frente
Caio num enorme buraco,
Tento sair mas acabo sempre por cair
E é depois de muitas subidas e descidas
Que sinto um tremor de terra
E sou expulso violentamente desse enorme buraco
E caio novamente em cima de um buraco
Mas com umas pedras brancas na entrada
Quando de repente sinto um efeito de sucção,
Quando saio já cansado, desse buraco
Encontro novamente o descanso
Junto das colinas...

Pedro Nobre e Francisco Manso
Escrito entre 1997-2002

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 22:00   5 REFLEXUS

terça-feira, janeiro 24, 2006

15. SABER OU NÃO SABER

Fonte: Gollum

Eu sei o que tu sabes
Tu sabes o que eu não sei
Ele sabe o que eu não sei
Nós sabemos o que vocês sabem
Vós sabeis o que nós não sabemos
Eles sabem o que eles sabem...

Escrito no dia 24 de Janeiro ás 16:09

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 23:06   10 REFLEXUS

sexta-feira, janeiro 20, 2006

14. SUGESTÃO DE FIM-DE-SEMANA


Este fim-de-semana venho sugerir-vos que se desloquem até Costa Vicentina no Algarve à Praia da Arrifana. Como, em tempos, citou o Historiador e Jurista José Hermano Saraiva um dos últimos paraísos do mundo... Aconselho-vos está pérola da natureza:
"Na fronteira Ocidental do Algarve, debruçada sobre o mar e o Alentejo, Aljezur assiste, privilegiada, à fúria das tempestades de Sudoeste, sem se importar com as birras do vento e do mar. O mesmo mar que leva e trás pescadores, sargos, percebes e surfistas, e partilha com a terra memórias de mouros e outros encantamentos."

A praia da Arrifana, com Bandeira Azul, estende-se por um areal com mais de meio quilómetro de extensão. Forma uma espécie de pequena baia sendo por isso a menos batida pela rebentação das ondas. No topo sul existe uma rocha vertical no meio do mar, a fazer lembrar uma estátua gigantesca. Fora da época balnear é muito procurada pelos surfistas e praticantes de Bodyboard. Junto ao que resta das ruínas da Fortaleza da Arrifana, construída pelos árabes, poderá desfrutar de uma das mais belas panorâmicas da Costa Vicentina.

Como chegar: siga a sinalização que se encontra à direita a escassos metros após a saída da vila de Aljezur para Sul. No final da subida, volte à esquerda para a Praia da Arrifana.
Acesso: Fácil (rampa e escadas em madeira)
Infra-estruturas de apoio: WC, chuveiros, parque de estacionamento, bar/restaurante sobre a praia
Praia Vigiada: Sim (durante época balnear)
Vale a pena fazer um desvio de 1 km a sul de Aljezur e cumprir em bom piso uma panorâmica estrada perfumada pela esteva que de repente nos proporciona uma parcela deslumbrante do nosso litoral - a Praia da Arrifana. Uma magnífica enseada fechada por abruptos promontórios terminando na extremidade sul por uma curiosa rocha que rompe o mar em direcção ao céu, a Pedra da Agulha, e a Norte por uma série de recifes e ilhéus onde sobressai a Pedra da Carraça. Rodeada por ravinas e escarpas de tons cinzentos e esverdeados, apresenta no meio uma concha de areia com a extensão de 1 km, à se acede por uma calçada sinuosa, dotada numa das extremas de um porto piscatório.

Não desça para a praia sem percorrer a estrada que rumando a norte acaba nas ruínas do antigo Forte da Arrifana, fortificação do século XVII, do qual resta um pequeno pano da muralha, proporcionando a sua antiga praça uma excelente vista sobre as enseadas e descontinuidades desta costa. O primeiro conselho vai no sentido de deixar o carro no parque de estacionamento superior, pois a estrada que desce para a praia fica desde logo ocupada pelos «madrugadores», sendo a marcha uma actividade perfeitamente segura e compensada pela excelência deste local. O areal é estupendo e mesmo assim quando é necessário a Câmara de Aljezur puxa as areias de forma a cobrir algumas «carecas» deixadas pela invernia.

Poderá escolher ficar mais perto das boas mordomias da praia, caso da esplanada de onde se pode gozar a paisagem e encomendar o almoço. Preferindo, pode estender-se até um enorme penedo, conhecido pelo Besilhão, logo privilegiado para pescar o bom sargo. Um pouco mais à frente um pernitente trilho sobe a encosta até ao Vértice Geodésico da Arrifana, a 114 metros de altura, um dos melhores miradouros da Costa Vicentina. Curiosamente, a frequência da praia, além do seu pico em Agosto, regista índices de ocupação muitos interessantes na Páscoa e em alturas de pontes.

Em local fora das rotas turísticas habituais, aqui se encontra uma pérola que ostenta a bandeira azul e constitui também um pequeno paraíso para surfistas, pescadores e todos aqueles que se pretendem fugir à pressão citadina.

Praia de águas límpidas, com uma temperatura média de 15/16 graus em zona protegida dos ventos dominantes de Verão e com assistência. Por último, não perca umas das antigas tradições da Arrifana, associada - segundo a tradição local - à memória da conquista de Aljezur. Assim, na noite de 29 de Agosto, ainda se pode assistir ás multidões que se deslocam até ao areal para o famoso «Banho de 29».
--
Referência Bibliográfica: Expresso, Guia de Verão 2001, Sol e Mar Costa Vicentina - Praia da Arrifana, n.º 6, 2001, p. 4-5

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 23:21   5 REFLEXUS

quinta-feira, janeiro 19, 2006

13. RAZÃO

Fonte: Razão
Porque razão pensam tanto
Se a vida é um trovão!
Tudo o que é exagerado
É inútil e escusado.

Não pensem demasiado
Porque nós abalamos e não voltamos
Nunca descobrirás a beleza da vida
Goza-a, antes que ela goze contigo.

Não digam que eu tenho razão
Mas eu a tenho
E eu quero viver com ela
Nem que seja a olhar para uma estrela
A brilhar numa noite de luar.

Escrito entre 1997-2002

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 23:52   3 REFLEXUS

12. MELANCOLIA

Fonte: Melancolia

Lá no alto
A lua cheia brilha
Iluminando a escuridão da minha vida
Que me cria tristeza na alma
Que me faz recordar tempos passados
Onde as estrelas brilhavam
Os beijos nos afogavam
A felicidade um mar intenso
Hoje,
Estou eu aqui
Num jardim sem flor
Numa noite sem luar
Não tendo a minha donzela para amar.
Mas tenho esperança
Um dia tu voltarás
Quero acordar deste meu pesadelo
Adormecer no sonho eterno
Seja onde estiveres
Estarás sempre comigo
Junto do meu coração
Que também é teu
Jamais alguém o irá ocupar
Mesmo que tenha o mais bonito olhar…

Escrito entre 1997-2002

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 23:39   2 REFLEXUS

sábado, janeiro 14, 2006

11. MEMORIES...

Fonte: Tempo


Eu estou aqui
O sol já lá vai
À espera de ti
A lua descai

Ao teu lado quero estar
O teu corpo desejo
A tua pele beijar
Este é o meu ensejo

Pelas ruas da amargura
Tudo lembra o teu rosto
Que sempre perdura
Mas em forma de desgosto

O tempo já lá vai
Sozinho continuo
Pensamento que me sai
Do tempo de recuo

Momentos que me fizeste feliz
Irei sempre recordar
Mesmo quando um não se diz
A minha vida fizeste mudar...
Escrito a 14 de Janeiro de 2006, 04:30

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 04:31   9 REFLEXUS

sexta-feira, janeiro 13, 2006

10. SUGESTÃO DE FIM-DE-SEMANA

Amigos,

Quero desejar a todos vós um excelente fim-de-semana e deixo-vos aqui a minha sugestão de lazer: uma ida à cidade de Évora (Património Mundial) ...

Évora é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Évora, e situada na região Alentejo e subregião do Alentejo Central, com cerca de 39 500 habitantes.
É sede de um dos maiores municípios de Portugal, com 1 308,25 km² de área e 56 525 habitantes (2001), subdividido em 19 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Arraiolos, a nordeste por Estremoz, a leste pelo Redondo, a sueste por Reguengos de Monsaraz, a sul por Portel, a sudoeste por Viana do Alentejo e a oeste por Montemor-o-Novo.

As freguesias de Évora são as seguintes: Bacelo Canaviais (Évora) Horta das Figueiras (Évora) Malagueira (Évora) Nossa Senhora da Boa Fé Nossa Senhora da Graça do Divor Nossa Senhora da Tourega, anteriormente Nossa Senhora da Torega Nossa Senhora de Guadalupe Nossa Senhora de Machede Santo Antão (Évora) São Bento do Mato São Mamede (Évora) São Manços São Miguel de Machede São Sebastião da Giesteira São Vicente do Pigeiro Sé e São Pedro (Évora) Senhora da Saúde (Évora) Torre de Coelheiros

História

A cidade teve o nome de Ebora Cerealis durante o império romano, tomando o nome de Liberalitas Julia no tempo do imperador Júlio César, sendo então já uma cidade importante, como o demonstram as ruínas de um templo clássico e os vertígios de muralhas romanas. Conquistada aos Mouros em 1165 por Geraldo Sem Pavor, Évora é testemunho de diversos estilos e corentes estéticas, sendo ao longo do tempo dotada de obras de arte a ponto de ser classificada pela UNESCO, em 1986, como Património Comum da Humanidade.

Monumentos essenciais da cidade

Fonte: Wikipedia

Sugestão de links a visitar:

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 16:21   1 REFLEXUS

quinta-feira, janeiro 12, 2006

09. VIRTUAL OU REAL?

Fonte: Virtual
Amigos,
Venho hoje levantar uma questão:

Nós, utilizadores da Internet seremos seres reais ou virtuais?


Por vezes sinto-me confuso, não sei se vivo uma vida mortal ou se vivo uma vida para além da vida... Afinal em que realidade vivemos?

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 00:05   8 REFLEXUS

segunda-feira, janeiro 09, 2006

08. AUSÊNCIA

Fonte: Lua

Está luar!
A noite começa-se a transformar
Num paraíso que sinto dor
Por não poder estar ao pé do meu amor
Uma luz observo
Como brilha no extenso horizonte!
O que será!
Não sei.
Talvez um sinal da minha donzela
Através de uma estrela
Meiga e singela
Tantas saudades me criam
O meu coração reclama
A ausência de uma menina que ama
A saudade irá passar
Sempre que houver uma noite de luar
Que me faça sonhar
Sonhar
Escrito entre 1997-2002

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 13:37   5 REFLEXUS

sábado, janeiro 07, 2006

07. PAULO SILVA


Uma estrela lhe orientou
Iluminando o seu caminho
Que por outros caminhos andou
E já se sentiu sozinho

Hoje o sol está a brilhar
Como nunca o viu até então
Pelo mote que lhe faz sonhar
Que se sente o bater do seu coração

A esperança que nos dá vida
Que transporta do nada ao esplendor
Esquecendo a antiga ferida
Camuflando a sua dor.

Escrito a 07 Janeiro de 2006 - 00:46

Nota de autor: Poema dedicado ao meu amigo Paulo C. Silva pela sua nova ida à TVI, ao programa em directo VOCÊ NA TV a partir das 10h00. Não percam...

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 00:56   4 REFLEXUS

quinta-feira, janeiro 05, 2006

06. O RETRACTO DE UM SENTIMENTO

Fonte: Corazon

Por tantos locais eu já passei
Muitas estrelas já amei
Que me puseram a sonhar
Como uma criança numa noite ao luar.
Muitas noites escuras fui encontrando
Mas os bons momentos irei sempre recordar
O céu azul de novo encontrei
Me pôs a divagar
Como é bom amar
Nas noites frias
Frias de morrer
A lua me observa
A nostalgia se instala
Uma cegueira se cria
Por não te poder observar
O meu coração bloqueia
Não sentindo o bater rebelde do teu
Os meus lábios gelam
Não sentindo a chama ardente dos teus
O teu sorriso me deixa louco
Da tua voz tenho saudades
Quando não a ouço fico triste.
Olhando pela janela do mundo
Avisto a estrela mais bela do horizonte
Semelhante a um ser que me deixa quebrado
O seu brilho me dá segurança
Que me dá força para lutar
Contra marés de incertezas
Que define a onda que quero nadar
Até nunca me afundar.

Escrito entre 1997-2002

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 16:52   2 REFLEXUS

quarta-feira, janeiro 04, 2006

05. PARAÍSO

Fonte: Sunset

Um por do sol observaste
Com tons de amarelo e vermelho
Pássaros e rebanhos se deleitam com tal beleza
O calor da natureza
O som da natureza
O som da vida
Vindo de um paraíso longínquo
Onde encontrá-lo-ei?!!
Será só nos sonhos?!
Não.
Não poderá ser
Árvores que crescem
Animais que se alimentam
Aves com canto de pureza
Pureza sinónimo de alegria
Alegria sinónimo de prazer
Prazer
Prazer
Onde estará esse verdadeiro ser?
Ser imaculado que observas este paraíso,
Onde estás tu?
Mostra-me o caminhoPorque um paraíso é como um sonho.

Escrito entre 1997-2002

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 12:59   1 REFLEXUS